17 de outubro de 2009

Historia da Vida Privada no Brasil vol3 - Fernando A. Novais, Nicolau Sevcenko



A Coleção História da Vida Privada no Brasil chega ao século 20. Seu terceiro volume traz as novas praticas e hábitos de consumo surgidos em meio a amplas transformações tecnologicas ocorridas no final do século 19, o declinio do Império, a emancipação dos escravos, a chegada dos grandes contingentes de imigrantes vindos de todas as partes do mundo, o adensamento populacional nas cidades. A obra foi vencedora o Prêmio Jabuti de 1999 de melhor livro de Ciências Humanas.


16 de outubro de 2009

Inteligibilidade racional e historicidade - Michel Paty

Um dos principais objetivos da ciência é mostrar que "o mundo é inteligível pela razão humana". Esta busca de compreensão racional tem uma história estreitamente ligada à história das ciências, mas também à das técnicas e à da filosofia, assim como à criação científica. Analisamos as relações entre construção social e historicidade, enfatizando a relevância dos conteúdos do conhecimento, os quais não se deixam dissolver nas condições externas de sua constituição. Toda a riqueza da historicidade pode ser vista na maneira orgânica pela qual estes conteúdos são tecidos a partir de materiais do mundo empírico assimilados em construções racionais. A própria historicidade torna-se-nos inteligível e permite entender as ampliações da racionalidade que possibilitam as aberturas, as invenções e os progressos do conhecimento.

Ler artigo na integra

12 de outubro de 2009

O Pensamento Selvagem - Claude Lévi-Strauss (novo link)



Este livro, segundo o seu próprio autor, pretende continuar o seu outro trabalho, "Totemismo hoje", que por sua vez é considerado uma introdução histórica e crítica a "O pensamento selvagem". Como os outros escritos de Lévi-Strauss, este é guiado por um método estruturalista, que consiste em que, após uma análise empírica detalhada dos fenômenos sociais, políticos, econômicos e culturais que são o objeto de investigação, seja construído com base nesses fatos pesquisados um modelo sistêmico, por meio do qual se retorna aos fatos para interpretá-los e esclarecê-los. Nesta obra, Claude Lévi-Strauss busca encontrar as características que distinguem as criações intelectuais dos povos considerados "primitivos" (denominação que ele critica) daquelas das culturas modernas. Às primeiras corresponde o pensamento selvagem, que se expressa por meio do mito, e à segunda corresponde o pensamento cultivado, que encontra a sua realização na ciência e na arte das sociedades modernas. Mas a análise de Lévi-Strauss, passando por numerosos exemplos retirados de etnografias, comparando-os e interpretando-os, procura mostrar também as possíveis semelhanças entre as culturas "primitivas", que ele denomina como sociedades "frias", e as culturas modernas, chamadas de sociedades "quentes". Segundo Lévi-Strauss, o mito de define como uma tentativa de explicação e compreensão da realidade natural e social por meio de um esquema, verdadeiro sistema de oposições e correlações binárias que, no pensamento selvagem, se expressa por meio de uma montagem de imagens registradas em uma narrativa. O mito é, portanto, uma manifestação de toda uma filosofia e concepção de mundo, "superestruturas" e ideologias, que é, por sua vez, reflexo de condições técnico-econômicas da vida coletiva, "infra-estrutura".




9 de outubro de 2009

Introdução a Pesquisa - Projetos e Relatorios Lori Alice Gressler


Destina-se ao pesquisador iniciante. Visa integrá-lo ao processo de produção do conhecimento científico, objetivando a organização sistemática do trabalho intelectual. Aborda a pesquisa qualitativa e a quantitativa, as quais se inter-relacionam ao longo do trabalho: nos fundamentos, na formulação de problemas e objetivos, na elaboração de instrumentos e nos procedimentos de coleta de dados. Apresenta, ainda, um capítulo sobre gênese da pesquisa qualitativa e os elementos básicos para a elaboração de projetos e relatórios de pesquisa, destacando a validade e a confiabilidade de instrumentos de mediação. Oferece também, tendo por base as normas da ABNT, exemplos de organização de referências. O trabalho é enriquecido pelo capítulo "Ciência e Linguagem", de autoria de Luiza Mello Vasconcelos.
Download (trecho)